quarta-feira, 9 de abril de 2008

Estou emocionalmente exausta. Para além do cansaço físico, este que me é companheiro habitual, releva este outro tipo de desgaste que há muito não sentia. Principalmente pela necessidade de domar e passar pelo crivo do racional todos aqueles sentimentos que reconhecemos e que independem de compreensões inteligíveis e que por elas não são condicionado. Eu não quero sentir e buscar não sentir simplesmente porque não devo. Quero me dar o direito de ser humana e sentir o que é irracional e por isso ser compreendida sem me sentir obrigada a explicar o que não pode ser explicitado por palavras.

(Texto escrito ontem)

2 comentários:

jayme disse...

Explicar, além de tudo, é na maior parte das vezes, pouco útil. Mas é preciso buscar novas maneiras de sentir e fazer sentir, da água do mar às águas de março.

Gabi disse...

Queria não ser humana e relevar certas coisas que insistem em ser pensadas.